Para Assistência (em Inglês) Ligue Para o Banco de Informação 1330

O  governo coreano implementou um programa para dar assistência à estrangeiros 24 horas,  todos os dias, até mesmo durante feriados.  Ligue para 1330 e você terá a resposta sobre qualquer assunto sobre a cidade ao seu alcance.  O sistema foi feito em ajudar estrangeiros a navegar pela cidade.  Disca 02-1330 de seu celular e você terá a ajuda necessária (em Inglês).  Você pode ligar para 1330 e pedir ajuda em explicar para um taxista o seu destino, ou a procurar por um restaurante tailandês em sua área, ou aonde você pode encontrar o veterinário mais próximo de sua residência.  Se 1330 não tiver uma resposta imediata eles retornam a sua chamada o quanto antes possível com uma resposta.  Esse serviço de atendimento é muito prestativo ao estrangeiro e esta a sua disposição e é totalmente de graça, pagando apenas pela ligação.  Veja abaixo as cidades que oferecem esse serviço.  Em Gyeonggi disca 031-1330, em Incheon 032-1330, etc.  Outros idiomas que 1330 ofereçe é em chinês, japonês, e também em coreano.

[Area Codes] + 1330
Area Seoul Gyeonggi Incheon Gangwon Chungnam Daejeon Chungbuk Busan
Number (0)2 (0)31 (0)32 (0)33 (0)41 (0)42 (0)43 (0)51
Area Ulsan Daegu Gyeongbuk Gyeongnam Jeonnam Gwangju Jeonbuk Jeju
Number (0)52 (0)53 (0)54 (0)55 (0)61 (0)62 (0)63 (0)64



Anúncios

Exposição de Medicina Oriental, 2010 em Jecheon

O Brasil inaugurou na Exposição de Medicina Oriental que é  representado pela EMBRAPA e Laboratórios Tiaraju  um belo espaço de 36 metros quadrados no “World Oriental Medicine-Bio Expo 2010” em Jecheon.  Abaixo segue o artigo escrito pela jornalista Fernanda Diniz.  Obrigada Daniel Fink pela dica.

Embrapa marca presença em megaevento na Coreia

Cogumelos, plantas medicinais e pesquisas em parceria com povos indígenas serão alguns dos destaques da participação brasileira na exposição.

Brasília, 15 de setembro de 2010 – Começa amanhã (16/9) em Jecheon, Coreia do Sul, a Exposição de Medicina Oriental 2010. É um megaevento com duração de um mês (até o dia 16 de outubro), pelo qual devem passar cerca de um milhão de pessoas de vários países.  O objetivo é homenagear os dois mil anos da medicina oriental coreana e o seu valor comercial com o tema “A redescoberta da medicina oriental: ciência do movimento, industrialização e globalização”. A participação da Embrapa – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária no evento está sendo organizada pelo Labex Coreia (laboratório virtual no exterior) e pela Embaixada do Brasil naquele país e será focada nas pesquisas de conservação e uso de recursos genéticos vegetais em prol do desenvolvimento sustentável da agricultura.

Além do pesquisador Maurício Lopes, que é o representante da Embrapa no Labex Coreia, dois pesquisadores da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, uma das 45 unidades da Embrapa, participarão do evento: Arailde Urben e Roberto Vieira.

Plantas medicinais nos biomas brasileiros

Como o tema do evento é a medicina oriental, um dos assuntos a ser apresentado pela Embrapa é o trabalho com plantas medicinais, que envolve pesquisas de coleta, caracterização e conservação dessas plantas em todos os seis biomas brasileiros (Amazônia, Caatinga, Cerrado, Pantanal, Mata Atlântica e Pampas).

“A separação por biomas é também uma forma de facilitar a compreensão do assunto pelo público visitante, já que é bastante heterogêneo e representa diversos países”, explica Roberto Vieira.

O Brasil possui uma diversidade de etnias com forte influência em nosso hábito alimentar e cultural, particularmente no que diz respeito ao uso de plantas medicinais. Segundo Vieira, o principal objetivo da Embrapa é conhecer e conservar esses recursos genéticos vegetais para a identificação do seu potencial de uso como matéria prima para a indústria de fitomedicamentos.

A Embrapa, em colaboração com universidades, tem um programa para estabelecimento de bancos genéticos de plantas medicinais e aromáticas.

Há atualmente sete bancos de plantas medicinais nas seguintes unidades da Embrapa: Acre, Amazônia Ocidental, Amazônia Oriental, Clima Temperado, Rondônia e Recursos Genéticos e Biotecnologia. Além delas, outras unidades da Embrapa também desenvolvem pesquisas com plantas medicinais, como: Pantanal, Semiárido, Gado de Corte e Agroindústria de Alimentos.

União de saberes

Para coletar e conhecer melhor o potencial das plantas medicinais, a Embrapa aposta na união entre os saberes tradicionais e científicos. “Especialmente em relação às plantas medicinais, preservar o conhecimento popular é essencial, pois as informações sobre os usos das plantas são passadas pelos povos tradicionais de geração para geração”, ressalta o pesquisador.

Unindo saberes de povos tradicionais a modernas ferramentas de caracterização genética, a Embrapa busca na riqueza genética da biodiversidade brasileira a base para o desenvolvimento de tecnologias e produtos que possam melhorar a qualidade de vida da população.

A parceria da Embrapa com povos indígenas começou em 1995 com o povo indígena Krahô, do Tocantins, e se estendeu para outras comunidades indígenas no Brasil. Segundo a pesquisadora da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Terezinha Dias, a relação da Empresa com esses povos é fundamental para incentivar e ampliar o cultivo de espécies tradicionais, contribuindo assim para a conservação da sua variabilidade genética.

Cogumelos: nutrição e saúde

As pesquisas desenvolvidas pela Embrapa com cogumelos comestíveis também serão apresentadas na exposição. Os cogumelos são alimentos muito importantes na dieta dos coreanos e o consumo chega a 4 kg por habitante.

No Brasil, o consumo desses fungos – cerca de 130 gramas por habitante – ainda é pouco quando comparado com a Coreia e outros países como, por exemplo, a França onde o consumo chega a 2 kg por habitante, a Itália, onde se consome cerca de 1,3 kg, e a Alemanha, na qual o consumo alcança 4 kg.

Como são alimentos muito nutritivos, com quantidade de proteínas quase equivalente a da carne e acima de alguns vegetais e frutas, ricos em vitaminas e carboidratos, e com baixo teor de gordura, o objetivo da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia é contribuir para aumentar o consumo dos cogumelos pelos brasileiros.

Hoje, a Unidade conta com um banco de cogumelos para uso humano com mais de 300 espécies.

No dia 13 de agosto último, a Embrapa e a Administração de Desenvolvimento Rural da Coréia (RDA, sigla em inglês) promoveram o Workshop Brasil-Coreia sobre produção de cogumelos. Segundo a pesquisadora Arailde Urben, o Workshop e a participação na Exposição de Medicina Oriental 2010 na Coreia certamente vão contribuir para consolidar ainda mais a cooperação técnica entre os dois países na área agrícola.

Fernanda Diniz

Jornalista

Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia

Fones: (61) 3448-4769 e 3340-3672

E-mail: fernanda@cenargen.embrapa.br
Para mais informação veja o link : http://www.hanbang-expo.org/2ebookeng/english.pdf

ChuSeok – Dia de Ação de Graças

Na semana que vem vamos celebrar o dia de ação de graças, o ChuSeok, um dos feriados mais importantes e comemorado na Coreia.  O feriado é sempre observado na primeira lua cheia do mês durante a safra e costuma-se ter a duração de três dias para agradecer às boas colheitas anuais como também agradecer aos ancestrais.  De acordo com as tradições coreanas, quando uma pessoa morre, seu espírito não tem partida imediata, mas fica com os descendentes durante quatro gerações.  Durante esse tempo a pessoa que partiu continua sendo considerada como parte da família.  Os coreanos reafirmam o seu relacionamento parentesco durante o ChuSeok como também o Solal (ano novo lunar), comemorando a vida dos ancestrais. É muito comum que uma família tem reunião e piquenique no cemitério mas as vezes por ser muito longe ou de difícil acesso, as famílias se unem na casa do filho mais velho para celebrar o feriado.

Cemitério Coreano

Esse ano o feriado será nos dias 21, 22, 23 de setembro (o dia 22 sendo o dia de ChuSeok).  Muita gente volta ao interior visitando com família mas hoje  muita gente também viaja para fora do pais.  É a melhor época para ficar em Seul pois a cidade fica vazia e bem tranquila.  Muitas lojas e até mesmo restaurantes fecham para o feriado então é bom fazer supermercado com antecedência.  Vendinha de bairro tipo 7-Eleven ou G-Mart gerealmente fica aberto como também restaurantes em hotéis mais é bom fazer reserva antecipada para garantir espaço.

Troca de presentes entre famílias e amigos e até as Empresas dão presentes aos clientes e é muito comum.  Os presentes são sempre coisas úteis, tal como pacotes de carnes, peixes, óleos, biscoitos, frutas, etc.  Se encontra também lindas caixas de sabonetes e produtos de beleza todas embaladas cuidadosamente e muito bem  enfeitadas.  O clima agora começa a mudar aonde os dias são mais frescos e um pouco mais curtos.  Aproveitem o  feriado e tenha um bom ChuSeok!

Presente de peixes semi seco, salgado, GulBi

A Chef Brasileira Patricia Bon em Seul de 13 – 18 de Setembro

A Chef Patrícia Bon de Brasília estará uma semana (13 – 18 de Setembro) no Hotel Intercontinental em Seul para fazer promoção de culinária Brasileira.

Lagosta com salada


https://mail.google.com/mail/?ui=2&ik=1c8eadea66&view=att&th=12b1ada4d233d777&attid=0.4&disp=inline&realattid=f_ge5om8p33&zw

Pato no Tucupi


Manjar com Calda de Ameixa, Recheio de Doce de Leite e Crocante de Coco


Pudim de Claras


https://mail.google.com/mail/?ui=2&ik=1c8eadea66&view=att&th=12b1ada4d233d777&attid=0.2&disp=inline&realattid=f_ge5oicwf1&zw

Bolo de Rolo


https://mail.google.com/mail/?ui=2&ik=1c8eadea66&view=att&th=12b1ada4d233d777&attid=0.5&disp=inline&realattid=f_ge5omh5z4&zw

Manjar Branco


Almoço buffet : KW35,000

Almoço (set menu) : KW55,000

Janta (set menu) : KW90,000 – KW110,000

10% taxa de serviço + 10% VAT a ser incluído

Sky Lounge – 30 andar – para mais informação ou para fazer reserva ligue para : 02-3430-8630

fotos por :  Daniela Duarte, no estúdio de Fábio Seixo

P1010150.JPG

A Turma! Foi TUDO muito delicioso e cada prato uma obra de arte!

Heyri, Cidade das Artes e Cultura à Uma Hora de Seul

Em 1998 um grupo de artistas se unirão na pequena aldeia de Heyri em Paju, na prefeitura de Gyonggi-do,  e criaram uma comunidade de artistas e de cultura.   Os residentes dessa comunidade são arquitetos, artistas, escritores, músicos, poetas, fotógrafos, diretores de filme, agitadores culturais, etc.  Heyri virou uma grande atração turística aonde cada prédio serve como residência, museu, galeria, atelier ou até memso pequenos auditório de teatro para concertos ou peças teatral.  Os prédios  são todos obras prima de arquitetura orgânica, contemporânea.  Os arquitetos foram todos cautelosamente selecionados e de grande porte, e são todos premiados.  Hoje Heyri registra 400 residentes que passaram por uma seleção rigorosa para podere ser considerado residente dessa pequena aldeia.  É impossível definir um ponto de preferência turística pois a cidade é toda  interessante  e muito bem  cuidada.  As exibições de arte são diária e muitas vezes se encontra concertos ou até pequenas peça de teatro.  Todo ano em Setembro Heyri comemora um festival de arte.  Se bem que esse ano com tanta chuva não sei se vai ter exposição ao ar livre.  Talvez com o uso de barracas será possível.  À apenas  1 hora de Seul é um passeio agradável!

A cidade de Heyri fica aberta durante 24 horas mas as galerias e museus folga toda segunda feira. Horário é das 10h às 19h.  Restaurantes e coffee shops fica aberto até mais tarde.  Algumas galerias cobra ingresso e o preço varia entre KW1,000 – KW5,000.

Como chegar até Heyri:

Transporte público :  Metro linha 2, até a estação Hapjeong, saída #2 – Pegue o ônibus #2200 que passa a cada 15 minutos.  A saída da cidade de Heyri fica mais ou menos à 40 – 50 minutos de ônibus.

De carro :  Endereço para o navegador : Gyeonggi-do Paju-si Tanhyun-myun Bupheung-ri 1652 (uma vez dentro de Tongil Dongsan).  Qualquer dúvida ligue para 31-1330.

Compre um mapa da cidade logo na entrada (portão #4) – custa mais ou menos KW500.  O mapa é todo em Coreano mas vale a pena.

Aluguel de um carro elétrico custa KW5,000 po pessoa.  Aluguel de bicicleta custa KW6,000 por duas horas de uso – depois passa para KW4,000 adicional por hora.  Procure pelo portão #3 para esse tipo de turismo.

Para mais informação veja o link:

http://www.heyri.net

SHoP, projetado por Kim Jun-sung condecorado com prêmio de Arquitetura


YEOL – Palestra Sobre a Ciência e a Arte na Cerâmica Coreana

A rare Korean celadon ewer and cover.

O grupo Yeol terá sua palestra mensal no dia 7 de Setembro.  Todas as palestras são em inglês.  Esse mês a professora Carolyn K. Koh Choo, Presidente da publicação East Rock, Professora Emeritus, no Depto. de Ciências da Herança Cultural Coreana, e no Depto. de Química da Universidade Chung-Ang.  O tópico será sobre a ciência e a arte na cultura de cerâmica coreana.

DATA: Terça Feira dia 7 de Setembro, 2010
HORAS: 10:30 A.M. – 12:00 P.M.

CUSTO: W10,000

AONDE: Seminar Room (2 andar), Seoul Museum of History, Shinmunro

PARA SE REGISTRAR:
Mande o seu nome para yeol400@paran.com

PARA MAIS INFORMAÇÃO: Ms. Young Mi Lee (Diretora) ou Ms. Yuna Han (Assistante à Diretora)
Email: yeol400@paran.com
T: 82-2-736-5868, 82-2-735-5878 F: 82-2-730-5868

Syllabus:

Traditional Korean ceramics culture has a long and rich history of various interactions with China and Japan on one hand, and indigenous creative forces on the other. Korea was the first country to import porcelain technology from China in the ninth and tenth centuries. However, recognition and appreciation of Korean ceramics culture, both within Korea and abroad, is very limited. In traditional Korean society, potters, considered members of the lowest social status, and their technology were completely ignored by Confucian scholars. Korean ceramics artists and studios have increased manifold in last decade, but their influence remains largely local and their vision focused within their own fields and experience.

The first study on Korean shards was made in the 1970s in Cologne, Germany, followed a decade later by two more studies in the U.S. Such studies finally began to reach a level of prominence within Korea in the 1990s at the Department of Science for Cultural Heritage in Chung-Ang University. To date more than 1700 shards are analyzed for their composition and micro-structural characteristics in this laboratory alone, and now many other university and research institutes are making similar studies throughout the country. Modern sophisticated instruments and techniques are enabling these objects to reveal themselves in detail as never before. By interpreting scientific results within their historical context, ceramics reflect human expression in both artistic and technological creativity, and economic and social demands of the period.

About the Lecturer:
Carolyn K. Choo majored in Chemistry at Radcliffe College and received a Ph. D. in Physical Chemistry from the Massachusetts Institute of Technology in 1973. She taught at Chung-Ang University from 1974 (Department of Chemistry) until she retired as professor emeritus in 2007.

In 1994 she helped found an interdisciplinary department for the scientific analysis and preservation of cultural objects. She has also published in-depth papers on natural plant dyeing technology. In 2008, she founded East Rock Publishing, which aims to publish English books on East Asian cultures and personalities.

*East Rock Publishing aims to publish English books on East Asian cultures and personalities.